15 de julho de 2020

Quem me segue lá no Instagram e acompanha os stories, já sabe que tem rolado praticamente um reality show do coletor menstrual! Mas como aqui alcanço mais gente, resolvi vir trazer o assunto para o blog também!

Dos últimos meses para cá, eu desenvolvi uma alergia ao absorvente descartável que tem se agravado a cada ciclo. Se tornando cada vez mais insuportável, doloroso e eu estava adoecendo por conta disso. Então tomei a decisão de testar o coletor. Comprei um kit da Fleurity e escolhi o tipo 2 indicado para minha idade, fluxo e por não ter filhos. E também peguei o mini, para ter uma opção menor caso não me adaptasse ao outro.

Assisti mil vídeos, relatos, pedi opinião para quem me seguia no Instagram. E a primeira certeza que eu tive era que teria que ter paciência e dar tempo ao tempo. Coloquei na minha cabeça que não seria fácil, mas que para não adoecer mais, eu precisava tentar e insistir. Eu fiquei tão ansiosa com isso (e com várias outras coisas) que minha menstruação até atrasou! Enquanto eu esperava a bendita descer, eu ia treinando colocar. Treinando dobras, posições, formas que me sentisse mais confortável. Nas primeiras duas vezes, não entrou de forma nenhuma! Tentei a dobra punch down que todo mundo indicava e nada. Desisti, deixei pra lá. Depois de uns 4 dias, voltei a tentar novamente, com a dobra T. E ao invés de tentar colocar de pé, coloquei de cócoras. E foi! Com facilidade o coletor entrou, mas não abriu. De pouco em pouco, dia após dia, eu ia treinando, tentando, experimentando. Cortei o cabinho que me incomodava, continuou incomodando. Coloquei do avesso, perfeito! Nem eu sabia que tinha toda paciência que eu tive aqueles dias!

coletor menstrual

E aí, quando eu relaxei, a menstruação desceu! Sem me cobrar, sem pressionar, sem stress, coloquei em prática o que eu tinha tentado nos dias anteriores. A forma que eu me adaptei foi colocando o coletor menstrual mini com a dobra de T, de cócoras e inclinada para trás. O meu realmente não abre sozinho, preciso abri-lo com o dedo e tudo bem! Como eu fiz ballet e pilates por muitos anos, a minha musculatura pélvica é mais forte e talvez por isso o coletor não se abra sozinho. Confesso que isso não foi um problema para mim, eu consigo abri-lo sem dificuldade. Em casa, tudo as mil maravilhas. Mas e na rua? No trabalho? Também! Achei o coletor menstrual super prático, não me causa nenhum incômodo e eu realmente esqueci que estava menstruada! No primeiro dia, eu tirei 2x no trabalho, pois meu fluxo é mais intenso. Depois disso, colocava de manhã antes de sair de casa e depois só tirava novamente quando chegava do trabalho para tomar banho. E não tive nenhum vazamento! Não tive nem necessidade de testar o coletor maior, o mini foi perfeito! Como era minha primeira vez, ficamos inseguras sim se o coletor menstrual vai dar conta, se não vai vazar, se não está colocado certo. E por isso eu usei protetor diário nos primeiros dias  depois tirei também!

Todo mundo fala que os primeiros ciclos são de adaptação, mas comigo foi perfeito desde esse primeiro! Quanto melhor você conhecer seu corpo, seu ciclo e fluxo, melhor é! Menos erros na colocação acontecem, menos riscos de vazamento e mais fácil a adaptação. Eu estava preparada para insistir ao máximo, mas foi tudo maravilhoso! Agora virei discípula do copinho e estou indicando para todo mundo que fala sobre o assunto perto de mim! Se você já teve experiência com o coletor menstrual, me conta nos comentários!

compartilhe com os amigos COMENTE!

  • TAG: Rotina de Blogueira
  • reagindo aos crushs REAGINDO aos crushs da adolêscencia atualmente!
  • Fashion Rio
  • Deixe seu comentário

    Deixe seu comentário

    Comente pelo facebook:
    Comente pelo Blog: