7 de agosto de 2013

Olá!
Como contei no último post, viajo na quinta feira e acho que para maioria das mulheres a dificuldade maior em viajar é a mala. Pensa numa pessoa indecisa, agora multiplica por 5, essa sou eu! Minha mala está sendo arrumada a 15 dias e bom.. já coloquei, tirei e recoloquei infinitas vezes coisas lá dentro. Até que me deparei com o impasse dos cosméticos.  Como sabem, o limite de liquido a ser carregado na bagagem de mão nos aviões é de apenas 100 ml, não importa se é remédio ou shampoos, não pode passar dessa quantidade.
Já na mala, pode levar até o vidro inteiro de shampoo se quiser, mas pra que? Ocupa um espaço precioso dentro dela! Pensa só, um vidro de shampoo e um de condicionador, daria para carregar um par de sapatos extra!  Dependendo do tempo da viagem, se for muito longa é mais fácil quando chegar ao destino, mas se for por poucos dias não vale a pena ocupar esse espaço. Mas eis que minha boadrasta me apresentou essa bolsinha fofa que ela comprou quando foi viajar da última vez.

A bolsinha vem com 8 itens (com a bolsinha são 9) , entre eles dois vidrinhos com a tampinha furada (que pode tirar), que eu coloquei shampoo em um e condicionador no outro; um vidrinho com tampa spray, que eu coloquei um cheirinho da Victoria’s Secret, mas que pode ser usado pra colocar perfume ou qualquer outra coisa que seja usada em spray; dois vidrinhos chatinhos e redondos, onde eu coloquei a máscara da Helcla que contei aqui outro dia, coloquei nos dois porque meu cabelo tá enorme e um só não daria, mas, nele também dá pra colocar hidratante. Vem também uma pazinha pra pegar/colocar o creme/hidratante, um pentinho e um espelho. Precisa de mais nada! Coloquei tudo dentro da bolsinha e em pé na lateral da mala , tudo organizadinho, ocupando pouco espaço e sem riscos de derramar!
Ela comprou esse kit da marca Santa Clara na farmácia e custou R$10.99, vale a pena heim!

compartilhe com os amigos COMENTE!

  • Pescoço em evidência
  • Deus salve as Regatas!
  • Moda Gótica
  • Deixe seu comentário

    4 de julho de 2011
    Já estamos em julho (fico mais velha daqui a exatamente 14 dias)! Quem ainda não está de férias, já está perto de entrar e as viagens estão aí..
    Lembro bem quando viajar de avião era quase um evento social, todos arrumados, homens usando blazers, mulheres bem arrumadas.
    Posso contar um segredo?
    Sempre achei errado, conforto deve vir primeiro sempre!
    Apesar das coisas terem mudado de uns tempos pra cá, muita gente ainda não sabe o que usar para encarar um avião. Viajar requer uma preparação gigante
    sca, desde quando decidimos nosso destino, até o dia anterior, onde revisamos a mala.. e olha que as vezes só lembramos de algumas coisas quando já estamos no portão de embarque, e aí, já era!
    Pensando nisso, resolvi fazer um apanhado de coisas que devem ser pensados antes, durante e depois da viagem para ajudar quem ainda está meio perdido.

    Para viagens longas e geladinhas, as melhores opção sempre são os bons e confortáveis calças jeans, e a parte de cima pode variar com a temperatura, desde um cardigan até um trech coat. Lembrando que deve-se levar em conta a temperatura de onde você está e para onde você vai. Sempre é bom levar um lenço, pashmina ou cachecol na bagagem de mão, nunca se sabe se vai estar mais frio que o esperado quando chegar ao seu destino. Nos pés, eu aconselho tênis, sapatilhas e até botas, desde que sejam confortáveis. Para quem não dispensa o salto, pode usá-lo, como forma de garantia, acho legal levar uma daquelas sapatilhas dobráveis que já falamos por aqui.

    Nas viagens longas de verão, vale quase tudo. Calças jeans (elas não vão te fazer morrer de calor e vai, dentro do avião não é calor), vestidos, macacões. Porque quase tudo? Não acho que shorts são adequados. Quem for optar por usar vestido, acho legal que ele não seja tão curto (uns 4 dedos acima do joelho é o máximo), e se resolver se arriscar em um comprimento menorzinho, leggings e meias-calça podem e devem ser usadas. O motivo é simples, a viagem é longa e depois de algumas horas aprisionadas dentro de um avião (para quem não tem fobia, como eu), o ambiente começa a se tornar familiar e com isso, mais confortável.. a tendência é nos largarmos mais, e por isso os comprimentos curtinhos não são tão seguros assim.
    Vale a mesma dica das viagens de inverno, cardigans, casacos, lenços, pashminas e cachecóis na bagagem de mão, assim como a sapatilha dobrável, caso você embarque de salto alto.

    As viagens curtas são mais tranquilas, é quase como se vestir para ir ao shopping. Jeans, camisetas, leggings, vestidos, tudo pode.
    Mesmo sendo curta, não podemos esquecer de dar aquela pesquisada na previsão do tempo (é sério, fiz quando fui pra Argentina e deu certo). Valem as mesmas dicas das viagens longas, mas não precisam ser tão “rígidas”, os vestidos podem dar uma encurtadinha (não tanto!), sapatilhas estão liberadas, botas, jeans. E também não pode esquecer o casaquinho.
    No verão é mais fácil, ainda mais se tratando de uma viagem curta brasileira. Continua valendo o que eu falei sobre os shorts e os comprimentos mais ousadinhos. E não podemos esquecer que dentro do avião não é calor e com isso corre-se o risco de dar aquela tremida básica, portanto, leve sim um agasalho, nem que seja uma camisa xadrez de manga comprida.

    Selecionei algumas coisinhas que acho necessário carregar na bagagem de mão.
    1. Bolsa Santa Lolla (ref. 1201325): R$ 519,90
    2. Mochila Imaginarium (ref. SA073): R$ 189,00
    3. Necessaire Imaginarium (ref. CS841): R$ 74,00
    4. Livro O Guia do Viajante Inteligente, Livraria Saraiva: R$ 15,10
    5. Almofada para pescoço, Walmart: R$ 32,00
    6. Máscara Barbie, Le Postiche (ref. 2097914): R$ 24,99
    7. Etiqueta de Identificação Bagaggio (ref. 078802): R$ 9,99
    8.Ipod Suffle Apple 2gb, Casas Bahia (ref. 222938) R$ 229,00

    – A soma das medidas da bagagem de mão não podem passar dos 115 cm e não pode pesar mais que 5 kg.
    – Não pode transportar facas, armas (até as de brinquedo) e ferramentas com mais de 15 cm.
    – Objetos esportivos e instrumentos musicais devem ser despachados.
    – Para liquidos, sejam sprays, gel ou maquiagens, o volume máximo que pode ser transportado é de 100 ml. Medicamentos e alimentos para bebês podem ser levados em maior quantidade, mas o passageiro deve informar ao agente antes da revista.
    – Saia de casa com pelo menos 4 horas de antecedência e verifique toda sua documentação, bem como passagem e bagagem de mão.
    – Vá de táxi ou de carona, só vá de carro se quiser voltar de sua viagem e estar pobre.
    – No dia da viagem, evite comer comidas pesadas, bem como fumo e bebida alcoólica.
    – Não esquecer de colocar identificação e cadeado em todas as suas malas.
    – Aparelhos eletrônicos, dinheiro ou objetos de valor devem ser levados consigo na bagagem de mão e não despachados na mala. Todos sabem como elas são transportadas (literalmente jogadas) e do risco delas serem extraviadas.
    – É possível (e aconselhável) registrar na Receita Federal os aparelhos eletrônicos que estão embarcando com você, para isso, reserve no mínimo 2 horas.
    – Para evitar transtornos, não leve alimentos para o interior da aeronave. De fome, certamente, você não morrerá.
    – Se começar a sentir dores no corpo, a solução é levantar e dar uma caminhada pelo avião, isso não vai desequilibrar a aeronave e derrubá-la.
    – Quando desembarcar, tenha calma e muita paciência. Quase sempre você pegará uma fila no mínimo gigante da imigração, e depois mais outra para pegar as malas.
    E enfim, curta a viagem!
    compartilhe com os amigos COMENTE!

  • Para todos os shorts, ops, gostos!
  • Look do dia: Saia midi
  • Saia Lapis
  • Deixe seu comentário

    29 de setembro de 2009

    O que é mochileiro?
    São pessoas que viajam de forma independente, sem a utilização de agências emissivas, portanto, planejam todas as etapas da viagem e tem total liberdade para alterar o itinerário em qualquer momento da viagem.
    Porque viajar assim?
    Acima de tudo, porque é uma viagem ecônomica. E economizar durante a viagem é uma característica marcante do público. Esticar o dinheiro para esticar a viagem é quase um lema. Não se trata de abrir mão do conforto (embora o faça com muita naturalidade), mas sim de pagar um preço justo pelo produto e/ou serviço que irá consumir.
    Muitas pessoas botam suas mochilas nas costas e até trabalham durante a viagem para prolongar os dias da, para muitos, realização de um sonho!Como eles escolhem pra onde ir?
    Eles procuram destinos associados a acontecimentos históricos, museus, vilarejos, castelos ou fortalezas; querem provar comidas e bebidas locais; buscam ver arquitetura marcante, conhecer ofícios tradicionais, visitar locais de produção de artesanato, assistir teatro típico, descobrir músicas e instrumentos diferentes, aprender ao menos um pouco do idioma nativo, conhecer locais religiosos (inclusive diferentes e contrários às suas crenças), passear por mercados públicos, ter contato com folclore, praticar ecoturismo e vivenciar tudo mais que tenha origem na cultura da localidade visitada, não importando se é um destino urbano, ecológico ou remoto.

    O que levar na mochila?
    O tamanho vai depender para o que e quanto tempo usará. O modelo é uma questão de gosto. Acessórios para camping caso acampe (barraca, talheres, prato e copo, panela e N coisas disponíveis no mercado – vai depender do “grau de conforto” que pretende ter no acampamento).
    Produtos de higiene pessoal, protetor solar, repelente, os remédios (paliativos ou não) que costuma tomar quando tem algum problema como dores de cabeça, estômago, barriga etc. Filme e máquina fotográfica e tudo que ache que precisará e não lhe atrapalhará durante a viagem.O que fazer quando chegar em uma cidade?
    Um número considerável de pessoas faz o roteiro apertado, tentando conhecer o máximo que pode no tempo q tem disponível (na Europa isso é mais intenso ainda…), mas as vezes esquecemos de um fator chamado Inércia Inicial.
    Inércia inicial é o tempo gasto desde a chegada até estarmos devidamente prontos para passear ou fazer o que quisermos, em uma cidade.

    Quando vc chega numa determinada cidade:
    1- Se for de avião, tem que esperar na fila da imigração e depois pegar sua bagagem. De trem o tempo é menor, pois já sai com suas bagagens e não tem imigração.
    2- Pegar informações sobre onde fica seu albergue/hotel e como se faz para chegar a ele (qual ônibus, metrô etc).
    3- Ir até o ponto e esperar o coletivo. Se vc for de táxi, perde menos tempo (mas mochileiros não costumam fazê-lo).A distância dos aeroportos aos centros das cidades é grande, normalmente, então gasta-se mais tempo que de trem, pois as estações de trem, geralmente são nos centros ou próximas deles.
    4- Se vc não tiver dinheiro local, terá que fazer câmbio (nos aeroportos e estações de trem o câmbio é pior. No guichê de informações turísticas eles podem te dizer onde há um câmbio q pague melhor).
    5- Chegando em seu albergue/hotel, deve-se fazer check in, então acomodar suas coisas.Aí sim vc estará pronto para passear ou fazer o que quiser.Lembre-se que vc não conhece nada, então um simples ponto de ônibus pode ser difícil de ser encontrado, assim como a rua ou o número do seu albergue (mesmo com mapa).O tempo que demora tudo isso varia muito, no geral, algumas horas. Durante o descrito acima dá fome, então podemos colocar mais um tempinho para comer.
    O que quero dizer é:Desde que vc chega numa cidade até estar pronto pra passear, vc gasta um bom tempo. Muitas pessoas subestimam esse tempo e aí criam roteiros que são muito difíceis de serem executados (as vezes impossíveis).

    compartilhe com os amigos COMENTE!

  • Cardigã, o retorno
  • Inspiration #27
  • VEDA #7 | Hidratação com banana
  • Deixe seu comentário