27 de outubro de 2009

Além de valorizar as formas femininas e dar um charme especial ao visual, a cintura marcada, especialmente em vestidos, pode ajudar a disfarçar as temidas “gordurinhas”. Para evidenciar a cintura, pode-se usar cintos, tanto finos quanto largos, faixas amarradas ou até mesmo optar por modelos que já venham com um laço, cinto ou recorte que marque essa região do corpo. Os vestidos mais soltos, com a linha em A são os que ficam melhores com a cintura marcada, principalmente para quem quer disfarçar alguma saliência.

CALÇAS

As calças de cintura alta conferem um toque de elegância ao look. Nesse verão, com a volta das pantalonas, a silhueta se torna ainda mais sofisticada. Combinando com uma camisa, o visual fica perfeito. Se o modelo for skinny, dê preferências a blusas mais soltas. Quem tem o quadril largo, pernas grossas ou barriga saliente deve evitar os modelos que marquem demais o corpo. Cintos também podem adornar esses looks, complementando-os, assim como os coletes, que também constituem uma forte tendência para a estação.

SAIAS
– Se você tem o quadril largo, use saia escura(na verdade pra quem tem quadril largo todas as peças de baixo devem ser escuras, calça, saia, shorts. todas.)
– Se você tem peitão, use a saia mais ou menos na altura do umbigo, nada de saia embaixo do peito.
– Se tem bumbum grande, use modelos mais larguinhos. A saia naturalmente vai te deixar maior, mas os modelos mais largos são a melhor opção.
– Pode usar com tudo, tênis, rasteirinhas, salto. Você escolhe!!
– Mulheres com gordura localizada na região da barriga devem evitar as mais justas, estilo saia-lápis, dando preferência aos modelos mais abertos.

SHORTS


Os shorts curtinhos em modelos de cintura marcada dão um aspecto de pin up ao looks, mas para usar desse modo, deve-se ter bom senso, considerando a idade e se as pernas estão em dia. Os justos também podem ser usados com cintos, mas nesse caso, quem está um pouco acima do peso deve evitar.
compartilhe com os amigos COMENTE!

  • Camisa de Banda
  • Saia Lapis
  • Moda para Copiar: Annalynne McCord
  • 22 de outubro de 2009

    Quem pediu esse post foi a Juliana, então lá vai. beijos Ju! 🙂

    O que são mechas californianas?
    São tipos de clareamento que imitam o produzido pelo sol que teve seu inicio nas praias da Califórnia – EUA, onde surfistas passavam (e ainda passam) parafina nos cabelos. Como as pontas são mais sensíveis o cabelo fica mais claro nessa parte o que dá um ar super natural e muito bonito.
    Qual efeito ela dá aos cabelos?
    Um degrade que inicia na raiz e vai clareando para as pontas, dando ar de beijo do sol.
    Qual a diferença entre sunkiss e mechas californianas?
    Sunkiss significa beijos do sol e californianas vem das praias da Califórnia, ambas querem dizer a mesma coisa, é só uma questão de nomenclatura.
    Cabelos pretos podem ter efeitos de californianas?
    Podem sim, principalmente se usar as californianas em tons mais quentes como vermelho e marrom acobreado.
    Por que elas se tornaram uma febre nos salões de todo o mundo?
    Primeiro pela naturalidade do efeito. Hoje é uma tendência respeitar as naturalidade dos efeitos e a qualidade dos cabelos. Uma alternativa muito mais prática e eficiente do que as usadas tradicionalmente, que obrigavam as pessoas a sempre retocar a raiz. Isso além de desgastar o couro cabeludo, toma muito tempo. As californianas só têm benefícios, além dos estéticos ela ainda é um procedimento rápido, prático e que requer menos retoques, esses que deverão ser feitos somente na hora de aumentar o degrade na raiz ou quando cortar os cabelos e remover as californianas.
    Quais os critérios para se fazer o trabalho? Exemplo: o estado do fio, o comprimento…
    O principio básico é que o cabelo tenha condições de receber um clareamento. O fio deve estar saudável. Em relação ao comprimento, não há nenhuma restrição, pois desde os curtíssimos até os longos o efeito fica super legal.
    Por que muitas mulheres têm receio em fazer?
    Por falta de conhecimento da técnica. As clientes que estavam acostumadas aos métodos antigos ficam com receio. Mas aquelas que usam têm 100% de satisfação. Aqui no salão muitas começaram com mechas finas e hoje já esbanjam look’s bem mais sofisticados e modernos.

    Quais são as variações das mechas californianas?
    Pelo aspecto da cor é o mais livre possível, vai da criatividade do profissional e da necessidade do cliente. Que vai desde corrigir manchas, clarear e deixar os cabelos mais sofisticados.
    Quais são as precursoras das californianas no Brasil?
    Hoje se você observar bem vai perceber que quase todas as atrizes brasileiras estão usando, mas no inicio era Gisele Bündchen, Ana Maria Braga as mais conhecidas. Mais recentemente quem jogou os holofotes sobre as californianas foi à atriz e apresentadora Fernanda Lima na novela Pé na Jaca (2007), na Rede Globo.
    Quanto custa?
    Custa em média, de R$70 a R$150.
    compartilhe com os amigos COMENTE!

  • Eu testei: Shampoo seco detox, Aspa
  • Hidratação capilar com melancia!
  • 20 de outubro de 2009

    Quem foi que disse que essa combinação não pode ser perfeita, heim? Mas podem perceber, as bandas formadas por meninas (nem que seja só uma), estão aumentando cada dia mais, e isso é só mais uma prova que cada vez mais, as mulheres podem sim se igualar aos homens e fazer até melhor se quiserem.
    Não é de hoje que existe mulheres no mundo do rock cantando super bem e deixando a sua marca femenina. Vou mostrar algumas 🙂

    LIPSTICK

    A banda é formada por Carol Navarro (baixista), Dedê Soares (guitarrista), Mel Ravasio (vocalista), Mi Oliveira (tecladista) e Tila Gandra (baterista).
    As meninas se conheciam a algum tempo, elas frequentavam a mesma escola de musica e nada melhor do que formar uma banda para por em pratica tudo o que aprenderam. No inicio, a banda era apenas uma forma de diversão. As meninas conciliavam a banda com seus outros afazeres e estudos no ABC paulista.
    Indico: A Nossa Historia, Descontrolada, Nunca Mais, Parei, Eu sei, Hoje pensei em você

    MIXTAPE
    O Mixtape é uma banda de Curitiba formada por Helen (baixo), Pris (guitarra e voz) e Renata Monteiro (bateria). As maiores inspirações delas ficam entre Alanis Morissette, Le Tigre e No Doubt.
    Indico: Destino, Já não quero mais, Meu Mundo, Perfeita Ilusão

    AGNELA
    A banda é formada por Déia Cassali no vocal, Nath na guitarra, Milla no Baixo, Loma na Bateria e Betah na Guitarra. Elas foram o primeiro fruto do quadro “˜Olha Minha Banda” do programa Caldeirão do Huck.
    Indico: Podia Ser, Velho Ditado, Sem Você, Eu Preciso, Subliminar e Almas Gêmeas

    compartilhe com os amigos COMENTE!

  • Bapho #2
  • Bapho #8
  • Ladylike
  • 18 de outubro de 2009

    HISTORIA
    A palavra chapéu vem do latim antigo “cappa”, “capucho” que significa peça usada para cobrir a cabeça.
    O primeiro acessório efetivamente usado foi o “pétaso” por volta do ano 2.000 a.C.
    Tratava-se de um chapéu de copa baixa e abas largas que os gregos utilizavam em suas viagens como uma forma de proteção.
    Era um tipo prático, ajustável, retirado com facilidade, tendo perdurado na Europa por toda a Idade Média (de 476 a 1453).
    Nas primeiras décadas do século XX, os chapéus masculinos em suas formas e estilos, alteraram-se pouco em oposição aos chapéus femininos, que conheceram diversos tipos, com freqüentes variações, até mesmo segundo as estações do ano.
    Depois da década de 30 e até hoje, os chapéus passaram a ser encarados como um acessório de vestimenta e proteção.
    Agora, além dos chapéus, temos também algumas variedades, como boinas, bonés e toucas bombando por ai.
    Boina
    Símbolo da França, e dos franceses, a boina uma espécie de boné sem abas. A copa pode ser ampla e ficar folgada na cabeça ou ser menor e mais ajustada. O detalhe que caracteriza esse modelo é a aquela faixa reta que encaixa na cabeça.
    Pode ser confeccionada em materiais como feltro, lã, brim ou outros tecidos ‘durinhos’.
    Indicada para aqueles dias frios, já que aquece a cabeça, ou para aquelas ocasiões em que se quer dar um charme extra ao visual.
    Boné
    É o modelo teen dos chapéus. Tem uma grande aba frontal que protege o rosto do sol e a copa que encaixa perfeitamente na cabeça.
    Indicado para dias de muito sol ou para quem quer fazer um estilo mais jovial.
    Breton ou Chapéu Feminino
    É o típico chapéu feminino, com grandes abas e a copa arredondada.
    Indicado para festas especiais, casamentos ao ar livre e durante o dia ou para aqueles dias de sol escaldante, seja na praia, na cidade ou no campo.
    Cartola
    Mais clássico, impossível. É o modelo masculino por excelência, com copa redonda e alta, como um cilindro, e abas também redondas, em tamanho médio.
    Cloche
    Em francês, o termo significa ‘sino’. E é exatamente esse o formato do modelo tipicamente feminino e que é marca registrada da moda dos anos 20. (Apesar dele permanecer fantástico e atual ainda hoje). Sua característica marcante é a copa ajustada à cabeça com abas redondas e curtas que podem ser viradas para cima. Também é chamado cloche aqueles modelos que têm abas com aspecto ‘folgado’ e que ficam soltas sobre a testa.
    Indicado para dias frios, porque esquentam a cabeça, ou nos dias de sol, porque protegem um pouco o rosto. Com ele, dá para compôs looks retrôs e super femininos.
    Fedora
    Esse é outro modelo masculino que deve ganhar espaço nos cabideiros femininos. Tem abas médias e a copa se caracteriza pelo formato mais alongado e com uma depressão no topo. O modelo ficou marcado como chapéu dos mafiosos, graças aos figurinos do cinema americano.
    Indicado para mulheres mais corajosas, que não tenham medo de chamar atenção. É versátil, compõe de looks oitentistas aos andróginos, sempre com bom humor.
    Panamá
    Famoso como um símbolo da América do Sul e Caribe, esse modelo é na verdade orginário do Equador. Costuma ter abas largas, redondas, e copa redonda. É produzido a partir de duas diferentes fibras naturais encontradas no país: as toquillas, que são extraídas de uma palma que nasce na costa equatoriana, e a macora, um fibra de qualidade um pouco inferior.
    Seu nome se deve a um episódio político: numa visita ao Panamá, em 1906, o então presidente norte-americano Theodore Roosevelt usava um modelo desses.
    Indicado para dias quentes, de sol escaldante, porque protege o rosto e o pescoço sem deixar abafada a cabeça. O que só é possível graças à sua trama característica. Pode ser usado por homens e mulheres.

    Touca
    É um pedaço de tecido, geralmente lã, que tem o formato da cabeça e nenhuma aba.
    Indicado para os dias frios de inverno.

    Turbante
    São aqueles lenços enormes que quando enrolados com maestria se transformam num turbante, como aqueles usados por alguns indianos.
    Para as menos habilidosas, há também aquela espécie de toquinha que imita um turbante de verdade e que pode ser confeccionada nos mais variados tecidos (seda, algodão, crepe, lycra, gorgorão, etc).
    Indicado para quem quer fazer charme, compor um visual retrô ou simplesmente proteger a cabeça do frio com um estilo.
    Viseira
    Não tem copa, apenas uma aba frontal, longa o suficiente para proteger o rosto do sol.
    Indicado para os dias de sol, de preferência quando se está na praia ou à beira da piscina. Ou para quem pratica esportes ao ar livre.
    Western ou Cowboy
    É o chapéu cowboy, com copa alta, um pouco alongada, e abas grandes. É confeccionado em feltro, couro ou palha.
    Indicado para quem gosta do estilo cowboy, ou quem pretende aderir à tendência para este inverno. Se a sua intenção não é ir a um rodeio, nem a uma festa à fantasia, evite usar o chapéu com bota cowboy, camisa xadrez ou qualquer outro acessório que remeta ao mundo western.
    PARA OS MENINOS

    No verão, os chapéus são mais leves e despojados, como os de palha, que podem ser usados com jeans, camisetas, camisas, coletes e até bermudas. Para ocasiões mais sérias, escolha um chapéu de cor sóbria, que dê algum contraste no look. Para o inverno, qualquer chapéu, ainda mais os de tecido que parecem mais quentes, como o algodão. Para combinar, qualquer coisa vale.
    O grande dilema surge na hora do acerto do chapéu de acordo com o seu rosto. Para rostos pequenos, os chapéus menores são mais aconselháveis, para você não passar a idéia de “cabeçudo” por aí. Para quem tem rosto maior ou um pouco quadrado, o ideal é escolher chapéus que possam ser usados meio de lado. Todo um charme.
    Os chapéus são chamativos, modificam todo o look e dão aquela impressão máxima de estilo para quem usa. Claro, você tem que ter algum senso na hora de escolher a roupa também, para não sair por aí com uma bermuda de tactel e um chapéu.

    PARA AS MENINAS

    As tendências da moda serão chapéus coloridos, estampados, listrados feitos com palha, feltro ou tecido, com abas de tamanho variável.
    O chapéu tem tanto senso de humor quanto de formalidade. Pode vestir sublime ou, no descuido, parecer caricato. Em primeiro lugar, avalie o tamanho do rosto e do corpo. Isso é fundamental. Rostos graúdos e corpo pesado não combinam com chapeuzinhos pequenos, gorros e boinas apertados. Caras miúdas somem se o acessório é muito vistoso. Para um perfeito equilíbrio, bom senso e a prova em frente do espelho são a melhor receita para o chapéu ideal.
    Não tente combinar o chapéu com a roupa. Vai parecer figurino da Rainha da Inglaterra. Eles funcionam melhor como ponto de contraste nas cores ou texturas com o que se veste. Para uma ocasião elegante é importante provar a roupa com o chapéu para sentir o efeito total.
    Contraste também com o formato de rosto: formas arredondadas suavizam traços angulosos e os modelos geométricos favorecem o rosto redondo.
    Esqueça os chapéus glamourosos de Joan Collins em “Dinasty”. Os anos dourados acabaram. Quanto mais casual o chapéu, melhor o efeito. Nada que pareça ter levado uma hora na frente do espelho, mesmo que este tempo tenha sido gasto. Simplicidade é o recado.
    A melhor cor vai depender de cada pessoa. Para quem não quer o chapéu como destaque, a cor próxima do tom do cabelo, chama menos atenção e combina com todas as roupas. Os neutros também garantem menos notoriedade.
    Chapéus com abas ficam melhor em cabelos curtos, médios ou presos. Modelagens sem aba como as boinas e bonés podem ser usados com cabelos longos e soltos.
    compartilhe com os amigos COMENTE!

  • O inverno será das luvas
  • 5 batons líquidos matte que valem a pena!
  • Como amenizar as olheiras?!